15 Anos de Ocarine of Time – Músicas que Marcaram Uma Geração

Esse mês um dos jogos mais icônicos da história dos games faz 15 aninhos. Legend of Zelda: Ocarine of Time marcou toda uma geração e foi sucesso de vendas do Nintendo 64. Não podemos deixar passar em branco, por isso preparamos uma série de posts para comemorar!

Quando eu penso em Ocarine of Time me vem logo a cabeça as canções do jogo, especificamente as que são tocadas na ocarina. Quem nunca foi dormir com a musica da Epona na cabeça? Ou saiu pra escola assobiando o Bolero de Fogo? Lembrando que a trilha sonora foi composta pelo grande mestre, Koji Kondo.

Então vamos começar do inicio. Que nostalgia boa quando lembro de chegar correndo da escola, comer rapidinho ligar o vídeo game e ouvir essa abertura!

Algumas músicas conseguem expressar sentimentos bem específicos. E quando eu penso em viajar, embarcar em uma nova aventura eu penso no tema de Hyrule Field!

Falando nisso, vamos relembrar as song warps, aquelas músicas de teleporte para cada templo espalhado em Hyrule. Não me recordo de um jogo anterior ter usado um método tão legal de viagem rápida. Talvez só Chrono Trigger,  quando você viajava na Epoch. Bom, chega de papo e vamos as musicas!

Depois de tanto viajar você quer dar aquela pausa, ver os amigos e relaxar. Eu só consigo pensar no tema de Kakariko Village pra isso.

Mas não há dúvidas que dois sons bem específicos não saiam nunca da cabeça depois de desligar o vídeo game. O primeiro (e mais irritante) era da Navi o tempo todo dizendo “Hey, listen!” E o segundo, claro, era o Epona’s Song.

Agora pra finalizar, duas versões muito bacanas que foram feitas em cima da trilha do jogo. Uma das mais conhecidas é um medley da violinista Lindsey Stirling, que é conhecida por fazer versões sensacionais de trilhas de games!

E por fim, a minha música preferida que é o tema de Gerudo’s Valley, na versão filarmônica do CD comemorativo de 25 de The Legend of Zelda.

Aguardem os próximos posts comemorativos de Ocarine of Time!

Outros Posts interessantes:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *